UEL 2022 – primeira fase

História

Questão 17 (UEL 2022)

Nitis Jacon, ex-funcionária da Universidade Estadual de Londrina, foi cofundadora e diretora do Festival Internacional de Londrina (1968), reconhecido patrimônio da cidade e do teatro brasileiro. Esse evento, bem como os festivais de música e dança, enriqueceram cultural e economicamente a região norte-paranaense. Sobre o processo histórico da dinâmica econômico-social de uma região, nos contextos nacional e internacional, articulados com os seus recursos culturais, históricos e geográficos, assinale a alternativa correta. 

a) O teatro de Arena, fundado no Brasil em 1968, expressava, em suas criações artísticas, um teor ideológico conservador e de manutenção da ordem socioeconômica vigente. 

b) A história da dança clássica no Brasil é marcada pela atuação de Angel e Klauss Vianna, trazidos da Europa, em 1995, por Fernando Henrique Cardoso, com o amparo da Lei Rouanet. 

c) Os festivais citados foram amparados, economicamente, pelos donos das empresas extrativistas de minérios instaladas no Norte do Paraná, localizado no Segundo Planalto. 

d) Os festivais de música, nos anos de 1960, transmitidos pela TV Record, traduziram o comportamento social contestador da juventude, com letras de canções que abordavam o amor e a exploração do trabalho. 

e) As artes foram valorizadas pelo atual governo do Paraná que, ao reconhecer suas importâncias, ampliou a sua carga horária como disciplina nas mudanças da matriz curricular do novo ensino médio. 

Questão 18 (UEL 2022)

Leia o texto a seguir. Na história existiram muitas mulheres artistas, mas poucas foram reconhecidas, reforçando a importância do pensamento de Ana Mae Barbosa sobre reescrever a história da Arte que eliminou parte dos seres humanos deste planeta, a metade feminina. 

Adaptado de: BARBOSA, Ana Mae. Mulheres não devem ficar em silêncio: arte, design, educação. São Paulo: Cortez, 2019, p. 430. 

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a história das artes visuais, relacione as imagens a seguir, produzidas por artistas mulheres, com os períodos artísticos.

( A ) Nas imagens renascentistas, reconhecem-se dados técnicos, como a perspectiva e o jogo entre o claro e o escuro, numa representação que simula a realidade a partir de grandes temas. 

( B ) O impressionismo, ao perceber o caráter dinâmico da luz, rompeu com o realismo acadêmico, desvalorizando os contornos rígidos e enfatizando a cor, as tonalidades e as pinceladas. 

( C ) O modernismo brasileiro negou os padrões da arte acadêmica, buscando soluções para lidar de modo não convencional com as formas clássicas, entre as quais, o retrato. 

( D ) Na arte contemporânea, dispõe-se de grande diversidade de recursos materiais por meio dos quais é possível alterar os modos de conceber a realidade, multiplicando as percepções cotidianas. Assinale a alternativa que contém a associação correta. 

a) I-A, II-C, III-B, IV-D.

b) I-C, II-A, III-D, IV-B. 

c) I-C, II-A, III-B, IV-D. 

d) I-C, II-B, III-D, IV-A. 

e) I-D, II-A, III-C, IV-B. 

Questão 20 (UEL 2022)

Leia o texto a seguir. 

Num lugar escolhido da biblioteca do mosteiro [de Ulm] ergue-se uma magnífica escultura barroca. É figura dupla da história. Na frente, Cronos, o deus alado. É um ancião com a fronte cingida; a mão esquerda segura um imenso livro do qual a direita tenta arrancar uma folha. Atrás, e em desaprumo, a própria história. O olhar é sério e perscrutador; um pé derruba uma cornucópia de onde escorre uma chuva de ouro e prata, sinal de instabilidade; a mão esquerda detém o gesto do deus, enquanto a direita exibe os instrumentos da história: o livro, o tinteiro e o estilo. 

RICOEUR, P. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Ed. UNICAMP, 2007, p. 67. 

Segundo a mitologia grega, Clio, a musa da história, é filha de Zeus e de Mnemósine, a memória. Sobre memória e história, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a seguir.

 ( ) A memória é a recordação das coisas que ficaram no passado, desvinculada do presente e da experiência histórica. 

( ) A história é a forma de conhecimento que investiga aquilo que os seres humanos construíram no tempo e no espaço; neste sentido, ela é materialista. 

( ) A memória é mais verdadeira que a história, porque se relaciona com a experiência vivida pelo indivíduo, e a experiência é mais fidedigna que a representação. 

( ) A memória coletiva é aquela que, compartilhada por um grupo, substitui a história devido ao conceito de experiência.

( ) A história utiliza-se dos veículos de memória para garantir a objetividade necessária a toda forma de conhecimento. Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.

a) V, V, F, F, V. 

b) V, V, V, F, F. 

c) F, V, F, F, V. 

d) F, F, V, V, F. 

e) F, F, F. V. V.

Questão 25 (UEL 2022)

Leia o texto a seguir. 

Há um busto de Marianne em cada prefeitura da França. Nas últimas décadas, as esculturas passaram a ser inspiradas em atrizes ou cantoras famosas, como Brigitte Bardot ou Catherine Deneuve. A última Marianne do século XX foi Laetitia Casta. A alegoria da República aparece também em moedas de euros fabricadas na França. O fotógrafo, diretor e ilustrador Olivier Ciappa alegou que, se vivesse hoje, Marianne seria uma Femen. Num artigo para a versão francesa do Huffington Post, ele lembrou que Inna Shevchenko, uma das lideranças do grupamento feminista, havia acabado de receber asilo político na França e disse que o feminismo é parte integrante dos valores da República. “Marianne andava de seios descobertos nos tempos da revolução”, escreveu. “Por que não homenagear essa fabulosa Femen?” 

Adaptado de: //piaui.folha.uol.com.br 

Marianne, a alegoria da Liberdade e da República para os franceses, é representada como mulher forte, guerreira, audaciosa e detentora de sua vontade. 

Sobre a representação da figura de Marianne e dos ideais da Revolução Francesa, considere as afirmativas a seguir.

I. Expressam valores da Revolução Francesa, como Liberdade, Igualdade e Fraternidade, e, por extensão, das formas de poder democráticas. 

II. Indicam formas de agir conservadoras que restringiam a participação feminina na representação da maternidade. 

III. Fundamentam as negociações entre os revolucionários franceses e a hierarquia católica para a adoção dos símbolos marianos na vida laica. 

IV. Evidenciam a representação da República Francesa, que endossa os ideais revolucionários de 1789, tidos como permanentes. 

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas. 

b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. 

c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. 

d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. 

e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Questão 31 (UEL 2022)

“Diva” (2020), da artista visual Juliana Notari, é uma instalação escultórica em concreto pintada em uma resina de vermelho ardente, medindo 33 metros de comprimento, 16 metros de largura e 6 metros de profundidade colocada na encosta de uma colina suave que torna a obra visível a grandes distâncias. “Diva” […] está em consonância com obras que marcaram as grandes polêmicas dos últimos séculos. […] Estamos pensando em “A Origem do Mundo”, a famosa pintura de Gustave Courbet de 1866 […] exibida no Musée d’Orsay desde 1995, que mostra explicita e frontalmente o ventre e a virilha de uma mulher nua deitada em sua cama. 

Adaptado de: //dasartes.com.b

A arte contemporânea, muitas vezes, estabelece relação com obras de outros períodos. Com base no texto, na imagem da instalação escultórica e nos conhecimentos sobre história da arte e suas relações, assinale a alternativa correta. 

a) A arte constitui um campo de múltiplas relações com seu tempo, que perpassam o humano e cujos temas são retomados ao longo da história. 

b) As obras de arte contemporânea, com suas amplas possibilidades técnicas e matéricas, rompem com as questões abordadas pelas obras da tradição artística. 

c) Ao longo da história da arte, nota-se a manutenção de padrões estéticos que derivam das mesmas técnicas, sendo este o ponto de relação entre a produção do passado e a contemporânea. 

d) A relação técnica entre a arte contemporânea e a pintura do século XIX define as correspondências entre movimentos artísticos ao longo do tempo.

 e) Na contemporaneidade, é possível reconhecer grupos específicos de materiais com os quais se descartam os temas da tradição artística.

Gabarito de História

em breve postaremos a resolução em vídeo

17) D

18) B

20) C

25) B

31) A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s