UEL 2022 – primeira fase

Filosofia

Questão 10 (UEL 2022) 

Leia o texto a seguir. 

De facto, o homem livre manda no escravo, da mesma forma que o marido na mulher, e o adulto na criança. Nesses casos, as partes da alma estão presentes em todos esses seres, mas dispostas de modo diferente. O escravo não tem faculdade deliberativa; a mulher tem-na, mas não tem faculdade de decisão; a criança tem capacidade de decisão, mas ainda não desenvolvida. Deveríamos necessariamente admitir, então, que o mesmo se passa com as virtudes morais. Todos devem participar delas, embora não da mesma forma mas na medida em que cada um cumpre a função que lhe é adequada. 

ARISTÓTELES. Política. Edição bilíngue. Tradução e notas de António C. Amaral e Carlos C. Gomes. Lisboa: Vega, 1998, p. 95. 

Com base no texto e no modo como Aristóteles concebia a participação de homens livres, mulheres, crianças e escravos nas deliberações da Pólis ateniense, assinale a alternativa correta. 

a) Mulheres e escravos possuem as mesmas partes da alma, sendo seres com virtudes intelectuais idênticas, motivo pelo qual desempenham funções similares no âmbito doméstico. 

b) Todo ser humano é um ser social, ou animal político, porque cada um cumpre a mesma função de participação na Pólis, cabendo adicionalmente às mulheres a participação nos banquetes. 

c) As funções dos homens livres, mulheres e escravos são determinadas pela alma, havendo igualdade em suas capacidades para cuidar da casa e da administração pública. 

d) As mulheres têm função de cuidadoras da casa e, embora tenham capacidade deliberativa, esta é distinta da dos homens, o que impede sua participação política. 

e) As funções das mulheres são similares às dos homens livres, ainda que suas capacidades deliberativas sejam desiguais, elas possuíam os mesmos deveres e direitos na Pólis.

Questão 12 (UEL 2022) 

Leia o texto a seguir. 

Em contraposição tanto aos regimes tirânicos como aos autoritários, a imagem mais adequada de governo e organização totalitários parece-me ser a estrutura da cebola, em cujo centro, em uma espécie de espaço vazio, localiza-se o líder; o que quer que ele faça – integre ele o organismo político como em uma hierarquia autoritária, ou oprima seus súditos como um tirano – ele o faz de dentro, e não de fora ou de cima. 

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. 8. ed. Trad. de Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2016. p. 136. 

Hannah Arendt, filósofa alemã de origem judaica, marcou profundamente a filosofia política contemporânea com suas reflexões sobre os fenômenos totalitários do século XX. Com base no texto e nos conhecimentos sobre a compreensão arendtiana do totalitarismo, assinale a alternativa correta. 

a) A ideologia totalitarista se distingue da tirania e do autoritarismo por se basear em ideias de caráter democrático, como a de partidos políticos. 

b) O totalitarismo possui uma estrutura em que cada nível mantém a fachada de normalidade e respeitabilidade, que disfarça seu caráter antidemocrático. 

c) A propaganda totalitária visa à violência do Estado como na tirania, sem investir no controle das massas via políticas públicas e ideologia. 

d) Os regimes totalitários, assim como as tiranias e o autoritarismo, pautam-se na descrença da onipotência do líder e de verdades factuais.

e) As tiranias e os regimes totalitários utilizam-se de propaganda ideológica e de programas sociais que garantem a respeitabilidade e igualdade de direitos e deveres. 

Questão 21 (UEL 2022) 

Leia o texto a seguir. Houve sempre, entre os homens, um esforço pouco nobre para desacreditar as Sereias, acusando-as simplesmente de mentirosas quando cantavam, enganadoras quando suspiravam, fictícias quando eram tocadas; […] Ulisses as venceu, mas de que maneira? Ulisses, a teimosia e a prudência de Ulisses, a perfídia que lhe permitiu gozar do espetáculo das Sereias sem correr risco e sem aceitar as consequências, aquele gozo covarde, medíocre, tranquilo e comedido, […] aquela covardia feliz e segura […]. Vencidas as Sereias, pelo poder da técnica, que pretenderá jogar sem perigo com as potências irreais (inspiradas), Ulisses não saiu porém ileso. 

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005. p. 05-06.

Com base no texto de Blanchot e na obra A Dialética do Esclarecimento, de Adorno e Horkheimer, que apresentam interpretações do encontro entre Ulisses e as Sereias, e tendo por referência os conhecimentos sobre os conceitos de esclarecimento, razão instrumental e a relação humano-natureza, considere as afirmativas a seguir. 

I. O controle dos efeitos encantatórios do canto das Sereias resulta de uma ação instrumental sobre a natureza. 

II. A astúcia é o recurso utilizado por Ulisses para sair vencedor das aventuras, por meio do qual ele se perde para se conservar. 

III. O episódio das Sereias mostra a separação originária entre o mito, marcado pela irracionalidade, e o trabalho racional.

 IV. Ulisses e as Sereias são evocados como símbolos das relações simétricas de poder entre homens e mulheres. 

Assinale a alternativa correta

a) Somente as afirmativas I e II são corretas. 

b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. 

c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. 

d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. 

e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. 

Questão 29 (UEL 2022) 

Leia o texto a seguir. 

Teremos ganho muito a favor da ciência estética se chegarmos não apenas à intelecção lógica mas à certeza imediata da introvisão [Anschauung] de que o contínuo desenvolvimento da arte está ligado à duplicidade do apolíneo e do dionisíaco, da mesma maneira como a procriação depende da dualidade dos sexos, em que a luta é incessante e onde intervêm periódicas reconciliações. 

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. O nascimento da tragédia, ou Helenismo e pessimismo. Trad. J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. p. 27

A compreensão do processo de criação a partir da analogia com a procriação, da valorização da intuição e da crítica ao conceito renovou profundamente a estética filosófica. A respeito da teoria nietzscheana da criação, manifesta na sua interpretação do apolíneo e do dionisíaco, assinale a alternativa correta. 

a) O dionisíaco, elogiado por Nietzsche como símbolo de um acordo superior entre o humano e a natureza, tem como marca característica a dissolução do humano. 

b) O apolíneo representa o âmbito da dissolução das formas, da embriaguez; enquanto o dionisíaco diz respeito ao âmbito figurativo do sonho.

c) O procedimento dialético socrático, discutido por Nietzsche, mantém a tensão característica da tragédia, sendo a lógica uma criação resultante do equilíbrio entre a forma e o informe. 

d) A cultura da ópera representa o renascimento da tragédia, pois reconstitui os vínculos entre arte, religião e sociedade a partir da oposição entre o apolíneo e o dionisíaco. 

e) A relação entre o apolíneo e o dionisíaco permite pensar a criação a partir de elementos negligenciados pela filosofia, como o corpo, as pulsões e o feminino.

Gabarito de Filosofia

em breve postaremos a resolução em vídeo

10) D

12) B

21)  A

29) E

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s